spot_img
spot_imgspot_img

Ensinando corte e costura para ajudar refugiados a mudar de vida

Ensinando corte e costura, a parceria entre o Instituto Diana Demarchi e o Grupo Mulheres do Brasil oferece gratuitamente curso como uma forma de auxiliar refugiados, possibilitando que desenvolvam uma nova habilidade, possam entrar no mercado de trabalho e mudar suas vidas.

O mercado de costura artesanal cresceu muito últimos tempos e temos sido testemunhas desse crescimento. O interesse pela costura, que já era evidente, aumentou bastante com a chegada da pandemia por COVID-19.

O mercado do vestuário e da moda sempre gerou um grande movimento na economia. E a costura, segundo dados da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), movimenta cerca de R$ 4,5 bilhões por ano, o que corresponde a 5% do faturamento total do mercado de vestuário. Isso refere-se, em boa parte, a costura industrial.

Mas a costura artesanal, sob medida, está em plena ascenção e aquela profissão que era considerada coisa de avó, chegou com muita força para pessoas de todas as idades e de todos os gêneros. É muito fácil encontrar pessoas com muito pouca idade com real interesse pela atividade e algumas delas até faturando. Como é o caso da nossa aluna Maria Eduarda, de apenas 16 anos de idade. “Meu primeiro contato com a costura foi fazendo chinelos bordados, quando tinha 10 anos, também fazia consertos das roupas aqui de casa a mão mesmo.” Maria Eduarda Reis em nossa edição nº 02 (julho, 2021).

E no que depender do Instituto Diana Demarchi, esse número crescerá ainda mais. Estamos sempre buscando colocar a costura em evidência e a parceria com o Grupo Mulheres do Brasil, da qual surgiu o Projeto Costurando a Renda, tende a dar ainda mais visibilidade para a nossa atividade, pois está ensinando corte e costura gratuitamente para refugiados que buscaram no Brasil um apoio em decorrência das dificuldades enfrentadas em seus países, formando novos profissionais.

O Projeto Costurando a Renda envolveu duas instituições da ciade de São Paulo, a Compassiva e a Cáritas. O Instituto Diana Demarchi doou 5 máquinas de costura Singer modelo M3405 para cada instituição, as quais se encarregaram de indicar facilitadoras, as quais acompanharam o Curso de Costura para Iniciantes Método Dcosturar online e repassam as lições para as alunas.

Por sua vez, as facilitadoras são assistidas diretamente por uma tutora designada pelo IDD para esclarecer dúvidas e orientá-las no decorrer do curso.

“O projeto Costurando a Renda, no qual tenho a honra em ser tutora, ensina o oficio da arte da costura à mulheres refugiadas que chegam ao nosso país com muitas dificuldades e até, muitas vezes, com sequelas de traumas por suas difíceis jornadas de vidas.

Sendo tutora, pude ver como cada uma delas se agarrou a essa chance e como estão superando suas dificuldades com muita felicidade e alegria, e descobrindo que elas são capazes de um novo recomeço, de uma chance de vitória nessa nova jornada da costura.” Diz Luna Fharia, mentora do IDD e tutora no projeto. 

O curso está com um ótimo andamento, o aproveitamento das alunas tem sido muito satisfatório e a previsão é que seja concluído entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, possivelmente com um um evento de formatura.

Nesta primeira edição do projeto O Instituto Diana Demarchi pretende presentear a aluna que se destacar durante o curso com uma máquina de costura para que possa ter sua própria renda e mudar de vida com a costura.

Clique aqui e conheça o Grupo Mulheres do Brasil

Acompanhe o andamento de nosso projetos sociais clicando aqui.

Publicações relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimas publicações